‹ Voltar

FASP 2018 promove encontro de representantes de religiões de matrizes africanas

  • 26 maio 2018
  • Categorias:Geral

Corumbá (MS) – O corumbaense é conhecido por aflorar cultura atrelada à religiosidade afro brasileira. E a união pela fé, reuniu representantes da Umbanda e do Candomblé, vestidos com roupas tradicionais, na tarde desta sexta-feira (25/05), às margens do rio Paraguai, no Porto Geral de Corumbá. Como parte da programação do 14º Festival América do Sul Pantanal, o Festival de Curimba brindou a fé transmitindo ao público presente, energia de paz e união.

Responsável pela Tenda Espírita São José, o pai Hamilton de Xango, destacou a importância da participação das religiões de matrizes africanas no FASP. “Para mim é muito satisfatório estar participando do festival. Eu já estou há 35 anos na labuta de divulgação da nossa espiritualidade. Canto na Bolívia, em Campo Grande, São Paulo, Rio de Janeiro, onde me convidam eu vou com a missão de levar o nome da umbanda avante”, disse.

“Em 2014 fui campeão, no Festival Atabaque de Ouro, em Corumbá. Tive a oportunidade de levar o nome do Estado de Mato Grosso do Sul, no evento realizado no Rio de Janeiro, que reúne os campeões de todos os Estado do país. Infelizmente, no Rio de Janeiro não levamos o primeiro lugar, mas só de levar o nome do nosso Estado, já foi uma vitória”, contou o líder da Tenda Espirita São José. 

Preconceito

Para ele, a manifestação da fé através das religiões de matrizes afro brasileiras é uma tradição brasileira que precisa de mais espaço e respeito. “Estou sempre em contato com representantes da umbanda de outros estados. Estamos fazendo uma fusão no sentido de lutarmos pelo nosso espaço. Não estamos ferindo nenhum órgão. A divulgação da nossa religião é muito importante para que possamos quebrar esses paradigmas. O espaço é para todos, e nós temos que galgar o nosso espaço, é isso que estamos fazendo, buscando mais respeito. Foi muito difícil chegarmos aqui, mas hoje o espaço que galgando será para um futuro promissor”, afirmou.

A Curimba

Ao som do atabaque, instrumento musical sagrado na Umbanda para a realização dos trabalhos espirituais, a Curimba é o elemento de sustentação da energia espiritual, unida ao canto nos rituais religiosos.

Assessoria de Comunicação FASP

Fotos: Eduardo Medeiros

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.